29.3 C
Jundiaí
sábado, 13 abril, 2024

Companhia aérea disponibiliza voos para observação do eclipse solar

spot_img

A Delta Air Lines, companhia aérea dos Estados Unidos, organizou voos especiais que proporcionarão uma vista privilegiada do eclipse solar total previsto para o dia 8 de abril. Este fenômeno será visível em algumas regiões dos Estados Unidos, México e Canadá. O sucesso foi tão grande que as passagens para o primeiro voo se esgotaram em apenas 24 horas, levando a empresa a disponibilizar um segundo voo para atender à demanda crescente.

O Airbus A220-300 será a aeronave escolhida para essa experiência única, com suas janelas extragrandes projetadas para oferecer uma visualização excepcional do fenômeno celestial. O voo partirá de Austin, no Texas, às 12h15, horário local (15h15, horário de Brasília), e está programado para pousar em Detroit às 16h20, horário local (19h20, horário de Brasília).

Os passageiros que não conseguirem adquirir passagens para a viagem especial terão a oportunidade de embarcar em outros voos que também proporcionarão uma visão especial do eclipse. Esses voos partirão de Dallas entre 10h e 15h (horário local), durante o período em que o fenômeno estará visível em 15 estados norte-americanos.

Eric Beck, Diretor de Planejamento da rede doméstica de voos, comentou em um comunicado: “Graças a todas as equipes da empresa, a ideia de visualizar um eclipse total do ar se tornará uma realidade para nossos clientes.”

Quando ocorrerá o eclipse solar? O fenômeno começará a ser visível às 11h, horário local (16h no horário de Brasília), na costa do México, e se encerrará às 17h, horário de Brasília, na costa Atlântica do Canadá. A NASA disponibilizou uma tabela com os momentos em que o eclipse será visível em cada parte dos Estados Unidos.

Na América do Norte, diversos eventos apoiados pela NASA estão sendo organizados para envolver o público durante as horas em que o fenômeno será visível. No Brasil, infelizmente, não será possível observá-lo.

“O eclipse de 8 de abril é o último total que veremos sobre a América do Norte até 2044”, afirmou Warren Weston, Meteorologista Chefe da Delta Air Lines.

O eclipse solar

Os eclipses ocorrem quando um objeto no espaço, como um planeta ou a Lua, passa pela sombra de outro corpo celeste no espaço. Na Terra, temos a oportunidade de observar eclipses lunares e solares.

O eclipse solar ocorre quando a Lua se posiciona entre o Sol e a Terra, bloqueando parcial ou totalmente a luz solar em determinadas regiões do nosso planeta. Em locais onde ocorre o eclipse total, a Lua cobre completamente o disco solar, resultando em uma escuridão temporária semelhante à noite.

Os eclipses solares totais ocorrem aproximadamente a cada 18 meses e têm uma duração bastante breve, durando apenas alguns minutos. Por outro lado, os eclipses solares parciais, nos quais a Lua não cobre totalmente o Sol, acontecem pelo menos duas vezes por ano em algum lugar da Terra.

Esse fenômeno é classificado em três tipos principais:

  1. Eclipse solar total: Visível apenas em uma pequena área da Terra, ocorre quando uma pessoa está localizada no ponto central da sombra da Lua, conhecido como “umbra”. Para que ocorra um eclipse total, o Sol, a Lua e a Terra devem estar perfeitamente alinhados.
  2. Eclipse solar parcial: Ocorre quando o alinhamento entre o Sol, a Lua e a Terra não é perfeito. Nesse caso, uma parte do disco solar permanece visível, enquanto outra parte é obscurecida pela sombra lunar, resultando em uma área de sombra escura na superfície solar.
  3. Eclipse solar anular: Este tipo ocorre quando a Lua está em sua órbita mais distante da Terra e parece menor no céu. Como resultado, ela não é capaz de cobrir completamente o disco solar, deixando uma borda brilhante ao redor da Lua durante o eclipse, criando uma aparência de “anel de fogo” ao redor da Lua.

Além desses tipos principais, existe também o eclipse solar híbrido, o mais raro de todos, que ocorre quando um mesmo eclipse solar pode ser observado como total em algumas regiões e como anular em outras, dependendo da posição do observador em relação à sombra da Lua.

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

notícias relacionadas