21.4 C
Jundiaí
sexta-feira, 1 março, 2024

Combate a Dengue: Visam realiza aplicações no Ivoturucaia

spot_img

Após um intenso trabalho de eliminação de criadouros, investigação de casos confirmados e busca ativa de pessoas com sintomas, as equipes de Vigilância e Saúde Ambiental (Visam) estão realizando nebulização contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, na região do Ivoturucaia. Esta aplicação, que continuará até sexta-feira (9), está sendo feita no final da madrugada e início da manhã, período em que há menor movimentação dos mosquitos alados.

“A nebulização é realizada após todas as etapas de eliminação dos criadouros, garantindo assim a redução dos mosquitos adultos. O inseticida atinge apenas os mosquitos alados, enquanto a eliminação das formas jovens (larvas e pupas) deve ser feita mecanicamente, ou seja, removendo os criadouros”, enfatiza Ana Lucia de Castro Silva, biomédica e gerente da Visam.

A aplicação do produto ocorre no final da madrugada e início da manhã devido às especificações técnicas, como temperatura mais baixa e ausência de vento. “As partículas do produto são muito pequenas e esse horário favorece sua dispersão e contato com os mosquitos, que tendem a ficar parados em muros, folhagens e paredes próximas às áreas residenciais”, explica Ana Lucia.

O cenário de Jundiaí

A Prefeitura de Jundiaí, a partir da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), em parceria com a Companhia de Informática de Jundiaí (Cijun), disponibilizam painel epidemiológico das arboviroses com informações atualizadas semanalmente relativas ao cenário da cidade.

A região do Ivoturucaia, de acordo com o painel do Boletim Epidemiológico das Arboviroses  Jundiaí contabiliza 124 casos de dengue autóctones e 38 importados. Outros 230 casos aguardam resultado de exames.

Na página, que pode ser acessada de qualquer equipamento conectado à internet pelo endereço https://jundiai.sp.gov.br/boletimarboviroses/, é possível identificar os locais onde há mais casos da doença, inclusive com dados sobre o perfil das pessoas mais acometidas (pessoas entre 26 a 59 anos), com pequena diferença entre mulheres e homens.

PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

notícias relacionadas