16.4 C
Jundiaí
quarta-feira, 29 maio, 2024

VISAM amplia prevenção contra a dengue em áreas dos cemiterios

spot_img

Às vésperas do Dia das Mães, comemorado no próximo domingo (12), a Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS) reforça as diretrizes para evitar o surgimento de focos do mosquito Aedes aegypti nos cemitérios da cidade, responsável pela transmissão da dengue, chikungunya e zika.

Ana Lúcia de Castro Silva, gerente da Vigilância em Saúde Ambiental (VISAM), destaca que, devido às suas características e dimensões, os cemitérios tendem a acumular água, tornando-se locais propícios para a proliferação do mosquito.

“Os cemitérios são pontos críticos e estão sujeitos a ações preventivas contínuas. Funcionários do Nossa Senhora do Desterro e do Montenegro foram capacitados para orientar os visitantes e eliminar possíveis focos de água parada. Além disso, diante da epidemia de dengue, foram instaladas faixas de alerta nos dois locais públicos. Jundiaí continua registrando muitos casos da doença, portanto é essencial que os visitantes, tanto de cemitérios públicos quanto privados, estejam atentos para evitar deixar objetos que possam se tornar criadouros. Sem a reprodução do Aedes, não teremos a doença”, enfatiza Ana Lúcia de Castro Silva.

Entre as principais recomendações estão:

  • Evitar deixar papel celofane ao redor ou dentro dos vasos;
  • Não levar pratos dos vasos de flores;
  • Perfurar os vasos que contêm flores artificiais e tomar precauções especiais com essas flores, que podem acumular água entre as pétalas e folhas;
  • Verificar se os vasos fixos nos túmulos têm furos para evitar o acúmulo de água;
  • Inspeccionar se as estruturas dos túmulos apresentam fissuras que possam permitir o acúmulo de água e, se necessário, preencher essas fissuras com cimento, terra ou rejunte para permitir a drenagem da água.

No cenário atual, o último Boletim de Arboviroses indica que Jundiaí registrou 11.825 casos de dengue, com cinco mortes. Dos casos reportados, 10.030 são autóctones, 165 importados, e 1.630 estão sob investigação para determinar a origem da transmissão. Quanto à chikungunya, há um caso confirmado, enquanto não há casos confirmados de zika.

Desde 1º de abril, a cidade está em estado de emergência devido à dengue, com novas estratégias de combate coordenadas pelo Comitê Intersetorial de Prevenção e Combate à doença. A Sala de Situação da Saúde, estabelecida em dezembro, monitora a situação para a implementação de medidas preventivas de forma transparente e antecipada.

PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

notícias relacionadas