15.4 C
Jundiaí
domingo, 26 maio, 2024

123 Milhas sob investigação por envolvimento em lavagem de dinheiro

spot_img

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) deu início a uma operação visando diretores da 123 Milhas e Maxmilhas em uma ação de combate a um alegado esquema de lavagem de dinheiro. Na manhã desta quinta-feira, 1º, em Belo Horizonte, estão sendo cumpridos dezessete mandados de busca e apreensão.

Conforme relato do MPMG, investigadores estão realizando buscas nas sedes das duas empresas e em endereços vinculados aos respectivos sócios. O Ministério Público expôs em comunicado: “Os mandados de busca e apreensão foram solicitados para investigar a prática de crimes de estelionato, por meio de associação criminosa, que resultaram em prejuízos vultosos a milhares de pessoas em todo o território nacional”.

A investigação está sob a responsabilidade da 14ª Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor da Capital, com o apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco Central) e do Centro de Apoio Operacional de Defesa da Ordem Econômica e Tributária (Caoet). A operação envolve oito promotores de Justiça, cinco delegados de Polícia Civil, 53 investigadores, um policial militar e cinco servidores do Ministério Público.

O Terra buscou a 123 Milhas para obter um posicionamento sobre a ação. Em comunicado, a empresa, que inclui a Maxmilhas em seu grupo, manifestou estar à disposição das autoridades e fornecendo os documentos relativos às suas operações.

“A empresa disponibilizou toda a sua documentação fiscal, assim como a de seus sócios, à Comissão Parlamentar de Inquérito das Pirâmides Financeiras. Os gestores da 123milhas estão, no momento, dedicados ao processo de recuperação judicial para quitar todos os débitos com os credores. O Grupo 123milhas reafirma seus preceitos de responsabilidade e transparência com clientes, credores e autoridades e aguarda mais informações do Ministério Público para prestar os esclarecimentos necessários”, destaca a nota.

Quanto à recuperação judicial, em janeiro, a Justiça suspendeu novamente o processo da 123 Milhas. A empresa iniciou o procedimento em agosto do ano passado, alegando uma dívida acumulada de cerca de R$ 2,3 bilhões.

PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

notícias relacionadas