18.3 C
Jundiaí
terça-feira, 28 maio, 2024

Pesquisadores empregam IA para recriar fragrâncias que podem desaparecer

spot_img

Cientistas da Universidade de Ciência e Tecnologia da Noruega desenvolveram um sistema de inteligência artificial capaz de recriar fragrâncias por meio de padrões de moléculas. Essa inovação promete reduzir os custos de produção de perfumes e garantir a preservação de aromas ao longo do tempo.

Utilizando pequenas amostras de fragrâncias reais, o computador emprega moléculas previamente identificadas para recriar esses aromas, simplificando significativamente o processo de reprodução.

O processo

Para alcançar esses resultados, os pesquisadores empregaram redes neurais artificiais, sistemas computacionais inspirados no sistema nervoso central dos animais, que têm a capacidade de aprender padrões e rotinas.

Essas redes neurais foram treinadas com uma extensa base de dados contendo fragrâncias reconhecidas globalmente. Essas fragrâncias foram categorizadas com termos comuns usados para descrever perfumes, como “cítrico”, “floral” e “amadeirado”, entre outros.

Assim, a inteligência artificial foi capaz de gerar sequências de moléculas que imitam o odor original. Os cientistas então selecionaram as fragrâncias sintetizadas pelo computador que mais se assemelhavam ao aroma inicial, levando em consideração que, uma vez aplicadas no ambiente, podem ser influenciadas por fatores como temperatura e condições climáticas.

A expectativa é que à medida que esse banco de dados seja ampliado, as criações de sequências de moléculas que imitam cheiros naturais se tornem mais precisas.

Como utilizar

Em termos de aplicação, os aromas gerados pela rede neural podem revolucionar a indústria de perfumes, permitindo a criação de fragrâncias com moléculas mais acessíveis em comparação com as utilizadas atualmente. Além disso, o processo de desenvolvimento desses produtos pode ser acelerado.

Adicionalmente, esses aromas podem preservar características olfativas únicas da nossa era, como o odor de uma floresta afetada por mudanças climáticas ou o aroma de um incenso utilizado em rituais culturais específicos, que correm o risco de desaparecer com o tempo. Esses cheiros podem ser recriados e armazenados para as gerações futuras.

PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

notícias relacionadas