14.4 C
Jundiaí
sexta-feira, 19 julho, 2024

Estudo revela: Mais de 70% dos entrevistados dormem menos de 6 horas em pelo menos uma noite

Uma pesquisa recente, realizada pelo Instituto Cactus em parceria com a AtlasIntel, revela um panorama preocupante sobre a saúde mental no Brasil. De acordo com o estudo, aproximadamente 71% dos entrevistados admitiram ter dormido menos de 6 horas em pelo menos uma noite nas últimas duas semanas.

Uma pesquisa abrangente sobre o panorama da saúde mental no Brasil, conduzida pelo Instituto Cactus em colaboração com a AtlasIntel, revelou dados alarmantes. O estudo, realizado entre 26 de dezembro de 2023 e 6 de janeiro de 2024, contou com a participação de 3.266 entrevistados. Segundo os resultados, cerca de 71% dos respondentes admitiram ter dormido menos de 6 horas em pelo menos uma noite nas últimas duas semanas. A pesquisa teve como público-alvo brasileiros com mais de 16 anos, apresentando um nível de confiança de 95% e uma margem de erro de dois pontos percentuais.

Com base nas informações fornecidas, aqui está uma versão reescrita do texto jornalístico que inclui os novos dados sobre a qualidade do sono e a sonolência diurna:

Uma pesquisa abrangente sobre a saúde mental no Brasil, conduzida pelo Instituto Cactus em parceria com a AtlasIntel, revelou preocupações significativas quanto à qualidade do sono entre os brasileiros.

De acordo com o estudo, realizado entre 26 de dezembro de 2023 e 6 de janeiro de 2024, com 3.266 entrevistados acima de 16 anos, cerca de 30,9% dos participantes relataram ter dormido menos de 6 horas em uma noite por três vezes ou mais nas últimas duas semanas. Outros 39,7% admitiram ter experimentado essa situação de 1 a 2 vezes, enquanto 29,3% afirmaram não terem enfrentado esse problema nenhuma vez nesse período.

Além disso, pelo menos 62% dos entrevistados declararam ter sentido forte sonolência durante o dia pelo menos uma vez ao longo das últimas duas semanas, segundo revelou a pesquisa. Os participantes foram questionados sobre a frequência com que experimentaram esse estado de sonolência diurna, evidenciando um quadro preocupante em relação aos padrões de sono da população brasileira.

  • 25,2% responderam 3 vezes ou mais
  • 37,3% responderam de 1 a 2 vezes
  • 37,5% responderam nenhuma vez

Com base nas informações adicionais fornecidas, aqui está uma versão reescrita do texto jornalístico, incluindo os novos dados sobre o uso de medicamentos e substâncias para dormir:

A pesquisa Panorama da Saúde Mental, realizada pelo Instituto Cactus em colaboração com a AtlasIntel, revelou que uma parcela significativa dos entrevistados no Brasil recorre a medicamentos e substâncias para melhorar o sono.

Dos 3.266 participantes com idade acima de 16 anos entre 26 de dezembro de 2023 e 6 de janeiro de 2024, 26,8% admitiram ter utilizado algum tipo de medicamento ou substância para dormir.

Entre aqueles que buscaram ajuda para o sono, 16,4% optaram por medicamentos prescritos, 5,1% recorreram à homeopatia, 4,7% utilizaram medicamentos não prescritos, e 2,6% relataram fazer uso de álcool e outras drogas para auxiliar no sono.”

PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

PUBLICIDADEspot_img

notícias relacionadas