15.4 C
Jundiaí
domingo, 26 maio, 2024

Nike adota estratégia para tornar os tênis AIR Force 1 mais exclusivo

spot_img

Os tênis Nike Air Force 1 e Nike Pegasus são encontrados em toda a parte. No entanto, isso representa um problema para a Nike, que busca tornar estes modelos mais exclusivos.

A Nike está reduzindo a produção de suas linhas clássicas de tênis, como o Air Force 1 e o Pegasus, para evitar descontos e abrir espaço para suas linhas mais recentes.

Esses modelos são fundamentais na linha de tênis da Nike e estão entre os mais antigos da empresa. O Air Force 1 é conhecido por seu design totalmente branco, enquanto o Pegasus apresenta grandes swooshes da Nike na sola intermediária.

Embora ambos sejam comercializados para uso diário, o crescimento dessas linhas e de outros produtos da Nike diminuiu, levando as lojas a promoverem os tênis com mais frequência para eliminar o excesso de estoque.

Essa estratégia apresenta um risco para a Nike, que se posiciona como uma marca premium e busca proteger sua capacidade de vender mercadorias a preços mais altos, evitando descontos excessivos.

Assim, a Nike está reduzindo a oferta para impulsionar a demanda e vender esses modelos a preços integrais. A empresa também está incentivando os compradores a adquirirem os novos e mais caros tênis Air Max e produtos Pegasus.

“Estamos reposicionando nosso mix de produtos” para incluir mais modelos novos, afirmou o CFO da Nike, Matthew Friend, durante uma teleconferência de resultados na quinta-feira.

“Estamos reduzindo a oferta de clássicos como o Air Force 1 e o Pegasus”, acrescentou.

Essas medidas podem tornar mais difícil para os consumidores encontrar os tradicionais tênis Air Force 1 brancos e as versões Pegasus nas lojas de calçados.

No entanto, os clientes fiéis da Nike devem migrar para outros tênis da marca, de acordo com Christopher Burns, analista do setor de tênis e fundador do Arch USA, um blog sobre tênis e estilo de vida.

Isso não deve afetar muito os aficionados por tênis, como Burns. Os colecionadores estão mais interessados em edições limitadas e colaborações especiais, não em modelos de mercado de massa como o Air Force 1, explicou.

A estratégia da Nike pode impactar as vendas e pode ser arriscada se os consumidores não se interessarem por seus novos estilos.

Desacelerando

A Nike revelou que os cortes afetarão suas vendas no próximo ano fiscal, com previsão de queda para um dígito baixo durante a primeira metade do ano, segundo a empresa.

Os consumidores estão alterando seus padrões de compra, priorizando itens básicos e experiências como shows e viagens em detrimento de tênis caros e roupas esportivas.

Diante desse cenário, a Nike reduziu sua perspectiva de receita para o ano e anunciou planos de economizar até US$ 2 bilhões em custos nos próximos três anos.

Em janeiro, a empresa também implementou cortes de pessoal, afetando 1.700 funcionários.

Além disso, a Nike enfrenta uma nova concorrência da marca francesa Hoka, conhecida por seus tênis de corrida com palmilhas volumosas. A popularidade da Hoka está crescendo, e até mesmo o presidente Joe Biden foi visto recentemente usando um par de tênis da marca.

Em resposta a esses desafios, a Nike está ajustando sua estratégia de distribuição. Nos últimos anos, a empresa reduziu o número de varejistas tradicionais e concentrou-se em expandir seus próprios canais de vendas, especialmente online.

A empresa afirmou que pode obter mais lucro vendendo produtos por meio de seu próprio site e lojas físicas do que por meio de parceiros atacadistas.

A Nike planeja concentrar seus recursos, marketing e produtos principais em apenas 40 varejistas selecionados, como a Dick’s Sporting Goods e a Foot Locker.

PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

notícias relacionadas