18.7 C
Jundiaí
domingo, 21 abril, 2024

Funcionário terceirizado da Enel é assassinado após interrupção de energia em academia de SP

spot_img

O empresário Randal Rossoni, de 44 anos, foi detido sob acusação de homicídio de um funcionário de 27 anos da empresa PSC-Alpitel, terceirizada pela Enel, após o corte de energia em sua academia, a Rossoni Fitness. O incidente ocorreu na quarta-feira, 13, no bairro Vila Marieta, zona leste de São Paulo. A defesa do suspeito não foi localizada para comentar sobre o caso.

O desentendimento que levou ao crime teria começado na academia, situada na Rua Antonio Carlos Lamego, 148, quando a vítima iniciou o procedimento para desligar a energia devido a falta de pagamento. Rossoni confrontou o funcionário terceirizado da Enel, apontado como autor do crime, e após a discussão, o trabalhador completou o serviço, deixou o local e seguiu sua rotina de trabalho na região.

Pouco depois, por volta das 14h, policiais militares foram chamados para atender a uma ocorrência em um posto de gasolina na Avenida São Miguel, a cerca de 450 metros da academia.

No local, encontraram o funcionário caído no chão com um ferimento de disparo de arma de fogo. Testemunhas relataram que o crime foi repentino, seguido de tumulto e gritaria no posto de gasolina onde ocorreu o disparo. Apesar de ter sido socorrida e levada a um hospital, a vítima não resistiu aos ferimentos e faleceu.

Randal Rossoni, que se apresenta como educador físico e fisiculturista nas redes sociais, foi identificado posteriormente pela Polícia Militar na avenida Manoel dos Santos Braga. Questionado pelos agentes, Rossoni confessou o crime e admitiu que foi motivado pelo corte de energia na academia.

O autor do disparo foi levado para uma audiência de custódia, e o caso foi registrado como homicídio consumado no 24° DP (Ponte Rasa).

Após o incidente, todas as redes sociais associadas ao empresário e à academia foram desativadas. O Estadão não conseguiu localizar a defesa do acusado e não obteve retorno nos contatos disponíveis, com mensagens indicando que os números estavam ocupados, desligados ou indisponíveis.

Em comunicado, a Enel Distribuição São Paulo repudiou “veementemente o ato de violência cometido na tarde de hoje (13) contra um eletricista de uma empresa parceira da companhia, durante uma atividade de corte de energia”.

“A companhia está em contato com a empresa parceira para que seja prestada assistência à família do colaborador. A Enel informa que foi registrado boletim de ocorrência e que acompanhará as investigações das autoridades policiais para que esse crime não fique impune”, acrescentou a empresa.

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

notícias relacionadas