30.5 C
Jundiaí
sexta-feira, 23 fevereiro, 2024

Estudo indica que alternar o braço de aplicação da vacina contra a covid-19 melhora sua eficácia

spot_img

Recentemente, uma pesquisa revelou que alternar o braço utilizado para a aplicação da segunda dose da vacina contra a covid-19 pode aumentar em até quatro vezes a eficácia do imunizante. Os achados desse estudo foram divulgados no The Journal of Clinical Investigation em janeiro deste ano. Essa descoberta tem o potencial de otimizar ainda mais a resposta imunológica contra o vírus, oferecendo uma estratégia simples e eficaz para aprimorar a proteção proporcionada pela vacinação.

O estudo, liderado por pesquisadores da Oregon Health & Science University, analisou a resposta de anticorpos no sangue de 947 pessoas que receberam vacinas de duas doses contra a covid-19 no início da pandemia.

Os participantes foram divididos aleatoriamente em dois grupos: um para receber a segunda dose no mesmo braço da primeira aplicação e outro para receber a segunda dose no braço oposto ao da primeira.

Esse desenho experimental permitiu aos pesquisadores avaliar os efeitos de alternar os braços na resposta imunológica dos indivíduos, fornecendo insights valiosos sobre essa estratégia potencialmente eficaz para aprimorar a proteção contra o vírus.

Para investigar se alternar o braço entre as doses da vacina poderia impactar a resposta imunológica, os pesquisadores conduziram testes sorológicos em diferentes momentos após a vacinação.

Os resultados do estudo revelaram um aumento significativo na magnitude e amplitude da resposta de anticorpos entre os indivíduos que receberam uma dose da vacina em cada braço, em comparação com aqueles que receberam ambas as doses no mesmo braço.

Além disso, os pesquisadores observaram uma maior imunidade contra a cepa original do vírus da covid-19 e uma resposta imunológica mais robusta à variante Ômicron cerca de um ano após a alternância de braços.

Ao longo de quatro semanas, as taxas de proteção aumentaram gradualmente, passando de 1,3 vezes para um aumento de até 4 vezes contra a variante Ômicron do vírus. Essa maior proteção continuou a ser observada por mais de 13 meses após a administração da vacina.

Esses resultados sugerem que a alternância de braços durante a vacinação pode desencadear uma resposta imunológica mais forte e duradoura, oferecendo uma estratégia promissora para aprimorar a eficácia das vacinas contra a covid-19.

Apesar dos resultados promissores, ainda há incertezas sobre os mecanismos subjacentes que explicam por que alternar os braços durante a vacinação pode aumentar a eficácia da resposta imunológica. Uma das hipóteses dos cientistas é que a alternância de braços estimula respostas imunológicas em diferentes gânglios linfáticos de cada braço.

“Trocar de braço essencialmente promove a formação de memória em dois locais em vez de um”, explica Marcel Curlin, professor associado de medicina na Escola de Medicina da OHSU, diretor médico da Saúde Ocupacional da OHSU e autor sênior do estudo.

Os pesquisadores enfatizam a necessidade de realizar mais estudos para confirmar essas descobertas e determinar se elas também se aplicam a outras vacinas, além do imunizante contra a covid-19. Essa investigação adicional é fundamental para fornecer uma compreensão mais completa dos benefícios potenciais da alternância de braços durante a vacinação e seu impacto na resposta imunológica.

PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

notícias relacionadas