15.4 C
Jundiaí
sexta-feira, 21 junho, 2024

Prefeitura regulariza mais 4 bairros e faz melhorias

spot_img

Em continuidade para regularização fundiária e melhorias físicas nas residências da população, a Prefeitura de Louveira e a FumHab (Fundação Municipal de Habitação), por meio da empresa InCidade, contemplada pelo Governo Federal no Programa de Regularização Fundiária e Melhoria Habitacional, vai regularizar 4 bairros, totalizando 959 famílias, além de financiar obras de melhorias. Os bairros escolhidos são Abadia, Colinas de São José, Residencial Cavalli e Altos da Colina. No Estado de São Paulo, apenas 24 municípios foram incluídos no programa, incluindo Louveira.
Para explicar melhor o Programa e tirar dúvidas da população sobre regularização fundiária, a Prefeitura vai realizar dois encontros com os moradores nesta semana. Os encontros acontecem no Salão de Eventos Culturais “Miguel Domingos Coletti” (Estrada Miguel Bossi, 130). Na terça-feira (4), às 19 horas, o encontro é com os moradores dos bairros Altos da Colina e Residencial Cavalli. Na quarta-feira (5), às 19 horas, o encontro é com os bairros Colinas de São José e Jardim Abadia.
De acordo com o programa, o valor para a regularização fundiária é de R$ 977,00. Entretanto, as famílias com renda familiar mensal de até R$ 2 mil vão pagar taxa única de R$ 50, além de poderem receber obras de melhorias habitacionais de até R$ 15 mil, sendo utilizadas para a banheiros, coberturas, pisos, instalações elétricas, hidráulicas e correlatas, desta forma, melhorando a qualidade de vida dos moradores.
Para as faixas de renda superiores a R$ 2 mil mensais não há o benefício de receberem obras de melhorias, e a taxa a ser paga segue:

  • De R$ 2.001 a R$ 3.000 pagará 5% da renda familiar mensal
  • De R$ 3.001 até R$ 5.000 o valor é de 7,5% da renda familiar mensal
  • De R$ 5.001 a R$ 7.000 o valor é de 10% da renda familiar mensal
  • Famílias com renda mensal maior que R$ 7.000 pagará 100%, ou seja, R$ 977,00.
    O objetivo da regularização fundiária é garantir a segurança jurídica aos ocupantes dos imóveis, possibilitando o acesso à propriedade legal e a regularização das condições de infraestrutura das áreas ocupadas.
    Em contexto de habitação, Louveira ainda vai gerar 1.475 moradias sociais, em atendimento à demanda e à população em vulnerabilidade social. O número inclui 400 apartamentos no Residencial Tabarana; parcerias com CDHU; Programa Vida Longa; Programa Pró-Moradia; Minha Casa, Minha Vida; e parcerias público-privadas.
PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

notícias relacionadas