14.5 C
Jundiaí
domingo, 26 maio, 2024

Quais os impactos do decreto de emergência contra a dengue em São Paulo

spot_img

Na terça-feira (5), o governo de São Paulo, através da Secretaria de Estado da Saúde, declarou estado de emergência em saúde pública devido à dengue. Essa decisão tem como objetivo principal agilizar a obtenção de recursos federais para fortalecer a vigilância em saúde, a atenção primária e a atenção especializada nos municípios e no Estado.

Além de facilitar a obtenção de recursos, o decreto proporciona maior agilidade nas ações de combate à doença. Essa medida foi tomada após São Paulo registrar, na segunda-feira (4), um número de 300 casos confirmados da doença por 100 mil habitantes.

A decisão foi baseada na recomendação do Centro de Operações de Emergência (COE) ao estado. Durante a reunião do COE, na sala de situação da Secretaria de Estado da Saúde (SES), a secretária da pasta em exercício, Priscilla Perdicaris, delineou os próximos passos.

“O decreto é mais uma estratégia do Estado, em consonância com o planejamento de ações iniciado no ano anterior, para garantir assistência aos municípios e à população. Vamos utilizar os recursos disponíveis para combater o Aedes aegypti”, declarou.

Segundo o governo estadual de São Paulo, os recursos serão direcionados prioritariamente para aquisição de máquinas de nebulização e insumos, contratação de profissionais e expansão da capacidade da rede de saúde.

“O monitoramento realizado pelo estado, desde o ano passado, revelou um aumento significativo no número de casos e uma antecipação de aproximadamente dois meses nos registros. Esse esforço permitiu a implementação de uma série de medidas preventivas, evitando cenários mais críticos como os observados em estados vizinhos”, destacou Esper Kallás, diretor do Instituto Butantan, durante a reunião do COE.

A Secretaria de Saúde também comunicou que instruiu a Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (Cross) a priorizar os pacientes suspeitos de dengue caso necessitem de leitos de alta complexidade na rede estadual.

De acordo com a Secretaria, dados atualizados até a tarde de ontem indicam que 131 municípios do estado registraram mais de 300 casos por 100 mil habitantes. No total, 22 municípios de São Paulo já decretaram estado de emergência.

PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

notícias relacionadas