14.7 C
Jundiaí
segunda-feira, 22 abril, 2024

Governo deve aumentar número de cidades que receberão vacina contra dengue

spot_img

Nesta quarta-feira (20), a ministra da Saúde, Nísia Trindade, declarou que o governo federal planeja redistribuir as doses não utilizadas da vacina contra a dengue. Essa medida visa alcançar mais municípios com os imunizantes, embora a lista dos locais beneficiados ainda não tenha sido determinada.

Conforme relatado pela secretária de Vigilância em Saúde, Ethel Maciel, de um total de 1,2 milhão de doses de vacinas distribuídas pelo país, apenas 465 mil foram efetivamente aplicadas. A lista inicial, elaborada pelo Ministério da Saúde e divulgada em janeiro, contemplava 521 municípios em 16 estados, com base no critério estabelecido pelo número de casos confirmados até então. Curiosamente, a capital paulista não estava incluída nessa lista.

A ministra da Saúde informou que o critério para a redistribuição das doses será determinado pelos municípios que declararam estado de emergência devido à dengue. A cidade de São Paulo, por exemplo, está entre aquelas que decretaram emergência.

Além de ampliar o alcance da vacinação para mais pessoas, a redistribuição tem como objetivo evitar o vencimento e consequente desperdício das doses não utilizadas. A secretária assegurou que aqueles que receberam a primeira dose terão a segunda dose garantida. As doses não utilizadas serão recolhidas pelo Ministério da Saúde para redistribuição.

Ethel Maciel explicou que uma possibilidade para utilizar as doses excedentes seria ampliar a faixa etária elegível para a vacinação. No entanto, ela ressaltou que essa expansão demandaria tempo e poderia atrasar o processo de redistribuição.

“A ampliação da faixa etária demandaria uma análise completa e detalhada, o que é um processo mais demorado do ponto de vista técnico-científico. Portanto, optamos por manter a decisão do nosso comitê”, explicou Ethel Maciel. Atualmente, a vacina contra a dengue é direcionada para pessoas entre 10 e 14 anos.

Paralelamente, a secretária acrescentou que aproximadamente 6 milhões de doses adquiridas pelo ministério devem chegar em breve, o que contribuirá para aumentar a cobertura vacinal.

Apesar da expansão na disponibilidade de imunizantes, a ministra enfatizou que a situação da doença ainda é alarmante. “A vacina é um instrumento crucial a médio e longo prazo, mas não é a solução para essa epidemia”.

Doses paradas

Quanto às doses não utilizadas, a secretária de Vigilância em Saúde explicou que nem todas estão relacionadas à recusa da vacina. “Existem vacinas do calendário que não podem ser administradas simultaneamente com a vacina contra a dengue”, exemplificou. Além disso, pessoas com dengue ou sintomas da doença não podem ser vacinadas até se recuperarem.

Apesar disso, a ministra Nísia Trindade fez um apelo aos pais de crianças e adolescentes na faixa etária para que levem seus filhos para serem vacinados.

Números

Em relação aos números da dengue, o país atualmente registra 1.937.651 casos prováveis, com 630 mortes confirmadas e 1.009 óbitos em investigação. Do total de casos, 16.494 são considerados graves ou apresentam “sinais de alarme”. O coeficiente de incidência é de 954,2 casos por 100 mil habitantes, sendo que a OMS considera um nível de epidemia a partir de 300 registros por 100 mil pessoas.

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

notícias relacionadas