22.4 C
Jundiaí
sexta-feira, 12 abril, 2024

Ações contra a dengue estão reforçadas, mas casos aumentam

spot_img

Mesmo com ações diárias para o combate e enfrentamento da dengue, Jundiaí registra aumento de 27% nos casos, desde o último boletim no dia 1º de março. Os dados foram atualizados na quarta-feira (6). O município acumula 1.246 ocorrências – 264 a mais – e está com 1.272 exames no aguardo de resultados. Os casos autóctones, ou seja, adquiridos no município, cresceram 22% e os importados, 11%. O governo de São Paulo decretou estado de emergência para a doença.
O bairro Ivoturucaia, que desde de dezembro recebe ações, como orientação casa a casa, busca de criadouros do mosquito Aedes aegypti, coleta extra de inservíveis e nebulização veicular, segue sendo a região com mais casos: 334. Na sequência estão: Vila Ruy Barbosa, com 64; Vila Nambi, com 46; Jardim Tamoio, 40; Vila São Sebastião, 32; e o Centro, com 32 ocorrências.
“Desde o ano passado, colocamos em prática uma séria de medidas adicionais para conter os casos. Em toda a cidade, estamos trabalhando de maneira intersetorial e levando a informação para que a população se conscientize. Não podemos controlar a chuva e a temperatura, que estão favoráveis ao mosquito, mas podemos cuidar das nossas casas, do nosso ambiente, eliminando tudo o que possa acumular água e servir de criadouro para o Aedes. Mesmo com todos os alertas, focos do mosquito são localizados nas residências. A dengue é uma doença evitável e precisamos agir para não perdemos vidas”, afirma o gestor de Promoção da Saúde, Tiago Texera.
Na quarta-feira, em complemento as estratégias, os bairros Vila Nambi e Ruy Barbosa receberam nebulização veicular para conter o avanço da transmissão. Até amanhã(8), usuários do serviço de transporte estão sendo sensibilizados pelas equipes da Saúde nos Terminais de Ônibus. No final de semana, as equipes farão novo mutirão nas Vilas Nambi e Ruy Barbosa.
A Prefeitura orienta que tendo sintomas da doença – febre, dor de cabeça, dores no corpo e articulação, manchas na pele, dor nos olhos e fraqueza – a pessoa procure os equipamentos da Atenção Básica – Unidades Básicas de Saúde (UBSs), Novas UBSs e Clínicas da Família – para atendimento pela equipe de saúde, , preferencialmente no período da manhã.
Os casos graves devem ser direcionados ao Pronto Atendimento Hortolândia (abertura às 7 e fechamento dos portões às 21 horas) e à UPA Vetor Oeste (atendimento 24 horas). Os sinais de alarme que indicam uma evolução potencialmente grave são: dor abdominal intensa, náuseas, vômitos persistentes, sangramento de mucosas e alteração de consciência.
Todas as informações referentes à dengue estão disponíveis na página lançada pela Prefeitura, onde é possível acompanhar, além do o cenário, as ações previstas no Plano Municipal de Vigilância das Arboviroses 2024-2025.

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

notícias relacionadas