23.4 C
Jundiaí
quarta-feira, 17 abril, 2024

RMJ se une contra a dengue; força-tarefa sai às ruas nesta sexta

spot_img

Os sete municípios da Região Metropolitana de Jundiaí realizam, nesta sexta-feira (23), o Dia D de Combate à Dengue. A mobilização foi uma das estratégias pactuadas pelos prefeitos e gestores de saúde da RMJ, com o Grupo de Vigilância Epidemiológica de Campinas, em reunião na quinta-feira (22), no Paço.
“O cenário é de alerta e não podemos perder vidas em razão da dengue e também das outras arboviroses (zika e chikungunya). A RMJ se une em uma grande força-tarefa para o enfrentamento e combate ao mosquito, que não vê barreiras. Estamos integrando ações e buscando conscientizar o maior número de pessoas para proteger a nossa população”, ressaltou o prefeito Luiz Fernando Machado.
A diretora técnica de Divisão de Saúde GVE XVII Campinas, Márcia Pacóla, destacou a importância da atuação regional. “Era aguardado um aumento nos meses de março e abril, mas houve uma antecipação, sendo necessária forte atuação. Temos um aglomerado de pessoas e fluxo de circulação grande na região. A definição de estratégias em conjunto e fundamental para esse enfrentamento”, comentou.
Somadas, as cidades – Jundiaí, Itupeva, Cabreúva, Louveira, Várzea Paulista, Campo Limpo Paulista e Jarinu – ultrapassam os 840 casos confirmados da doença, segundo o painel de monitoramento do Estado. Em Jundiaí, até o dia 21 deste mês, foram registrados 672 casos de dengue (329 autóctones, 86 importados e 257 em investigação para determinação de local de transmissão). 806 exames estão no aguardo de resultados.
No País, o acumulado do ano já ultrapassa 715,6 mil casos prováveis, segundo o Ministério da Saúde, sendo 75,5 mil confirmados no Estado de São Paulo, com 17 mortes até a última quarta-feira (21). A estimativa, com a combinação entre o fator climático e o ressurgimento dos sorotipos 3 e 4, é que sejam registrados em torno de 5 milhões de casos no Brasil, neste ano.
“Cabe a nós revertemos esse quadro. Com o Dia D de mobilização, damos início a um amplo trabalho para impactar todos os habitantes da nossa região. Nossa expectativa é que a população adote comportamento preventivo. A maioria absoluta dos casos é contraída na localidade em que a pessoa mora; 85% dos criadouros estão nos quintais. Se não tem água parada, o mosquito não nasce. Convocamos cada um a fazer a sua parte”, acrescentou Luiz Fernando.
A programação de atividades desta sexta-feira será iniciada às 8 horas. Entre as ações regionais estão: visitas a imóveis, orientação, eventos educativos, coleta de inservíveis, pedágios, verificação em pontos estratégicos, caminhada e distribuição de material informativo.
Em Jundiaí, a mobilização conta com o envolvimento de todas as unidades de gestão e de parceiros da sociedade civil, como o Rotary, sindicatos, shoppings e a Associação Comercial. Durante todo o dia, Agentes Comunitários de Saúde, juntamente com as equipes da Vigilância em Saúde Ambiental (Visam), percorrerão os territórios em ação casa a casa em busca de criadouros e orientação; barraca educativa será montada no Centro com a presença de agentes mirins das 13h30 às 1 horash, para que a população conheça o ciclo do mosquito; as escolas municipais promoverão atividades com os alunos; e nos bairros Vila Nambi e Ruy Barbosa – ambos com transmissão de dengue e necessidade de bloqueio – caminhões da limpeza pública farão a coleta extra de inservíveis. Já a Associação Comercial envolverá suas equipes em vistoria aos seus imóveis e nos shoppings acontecerão atividades educativas.
“Temos uma projeção de aumento de casos para as próximas semanas. Esse é um momento importante de bloqueio da transmissão nas regiões para a contenção de ocorrências. Estamos com os serviços de saúde preparados para garantir assistência à população e com estratégias definidas. Mas o ideal é evitarmos a doença. Sabemos o que é necessário fazer e cabe a nós agirmos para que Aedes aegypti não nasça destacou o gestor de Promoção da Saúde, Tiago Texera.
Também participaram da reunião a prefeita de Jarinu, Débora Cristina do Prado Belinello, e o prefeito de Louveira, Estanislau Steck, o gestor de Governo e Finanças, José Antônio Parimoschi, e secretários municipais de saúde das sete cidades da RMJ.

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

notícias relacionadas