25.2 C
Jundiaí
sexta-feira, 12 abril, 2024

Dengue pode causar diversas complicações oculares

spot_img

O Distrito Federal figura entre as regiões com maior incidência de casos de dengue no Brasil. Conforme dados do boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde local na segunda-feira (5), já foram registradas 11 mortes pela doença em 2024, com um total de 46.298 casos prováveis.

Esses números representam um aumento significativo de 1.120,6% em comparação com o mesmo período de 2023, quando foram reportados 3.793 casos prováveis. Especialistas da área alertam que essa tendência de crescimento deve persistir nas próximas semanas, devido ao período chuvoso.

Transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, a dengue é uma doença viral causada pelo vírus do gênero Flavivírus. Este mosquito se prolifera em locais com água parada. Os sintomas mais comuns incluem febre alta, manchas na pele, coceira, dores de cabeça, náuseas, vômitos e tontura.

No entanto, em casos mais graves, conhecidos como dengue hemorrágica, o paciente pode apresentar sangramentos na gengiva, na urina ou durante a evacuação, além de dores abdominais intensas e persistentes, palidez, sonolência, boca seca e dificuldade respiratória.

Muitas pessoas desconhecem que a dengue pode acarretar uma série de complicações oculares. Entre esses problemas, destacam-se as hemorragias retinianas ou na conjuntiva, caracterizadas pela ruptura de um dos vasos sanguíneos, resultando na deterioração da qualidade visual. Além disso, podem ocorrer oclusões vasculares, como tromboses, desencadeadas pelo depósito de anticorpos nas paredes internas das artérias e vasos.

O oftalmologista Sérgio Kniggendorf, especialista em Retina do Hospital Oftalmológico de Brasília, alerta para essas questões. Ele explica que tais complicações decorrem da inflamação provocada pelo vírus da dengue ou das alterações que este promove no sistema imunológico.

“Observa-se uma redução das plaquetas, que são fragmentos celulares cruciais para a coagulação do sangue. Com a diminuição das plaquetas, aumenta-se o risco de sangramentos e hemorragias em várias regiões do corpo, incluindo os olhos, o que pode resultar em comprometimento visual ou até mesmo cegueira”, afirma.

O especialista ressalta que também é possível ocorrer neurite, uma inflamação do nervo óptico que pode levar à perda total da visão, devido ao bloqueio na transmissão das imagens formadas nos olhos para o cérebro. “Os problemas oculares são mais comuns em casos de dengue hemorrágica, porém, é importante estar atento aos sinais. Pessoas diabéticas e portadoras de doenças vasculares devem ter cautela redobrada, pois apresentam maior propensão a complicações. Indivíduos infectados pela segunda vez têm um risco elevado de desenvolver sintomas mais graves, especialmente quando expostos a diferentes tipos de vírus”, destaca o oftalmologista.

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

notícias relacionadas