24.4 C
Jundiaí
segunda-feira, 26 fevereiro, 2024

Policiamento será reforçado ao longo do trajeto dos blocos no Carnaval em todo o Estado de São Paulo

spot_img

O Carnaval de 2024 em São Paulo contará com um reforço significativo na segurança, envolvendo a participação de 15 mil policiais militares, um acréscimo de mil em relação ao ano de 2023. Adicionalmente, 6 mil viaturas serão estrategicamente distribuídas pelas cidades paulistas.

A Operação Carnaval, apresentada pela Polícia Militar nesta segunda-feira (29), inclui a presença de agentes à paisana, responsáveis por monitorar os deslocamentos dos foliões nos blocos, além de um efetivo treinado para lidar com ocorrências de importunação sexual.

O plano abrangente de segurança será implementado a partir deste sábado (3), durante as celebrações de pré-carnaval. Conforme a proposta divulgada, os policiais estarão dedicados não apenas durante o feriado em si, mas também nos dias que antecedem (5 a 9 de fevereiro) e se estenderão até o período pós-carnaval, indo além da quarta-feira de cinzas, até o dia 18, no domingo subsequente.

Conforme informado pela Polícia Militar, a abrangente Operação Carnaval contará com a participação das polícias rodoviárias, encarregadas de garantir a segurança nas estradas, e da PM Ambiental, com foco na prevenção de crimes e na proteção dos foliões que celebrarão o carnaval em áreas rurais do território paulista.

A atuação específica no litoral do Estado, somada ao reforço já existente com a Operação Verão em andamento, incluirá a utilização de drones, helicópteros e embarcações durante a operação, ampliando os recursos disponíveis para o monitoramento eficaz.

O policiamento contempla ainda a presença estratégica de agentes próximos às festas, incluindo policiais à paisana, vestindo trajes civis, que se misturarão com o público para realizar a vigilância de atividades ilícitas e suspeitas durante as festividades.

Os policiais envolvidos na Operação Carnaval passaram por treinamento específico para lidar com casos de importunação sexual, e estarão dedicados ao acolhimento e encaminhamento das vítimas para as redes de proteção. O plano inclui também um policiamento ostensivo voltado para identificar roubos e furtos de celulares, além de um esforço específico no combate à receptação desses aparelhos.

“A receptação dos celulares é muito rápida. O criminoso furta o celular, leva para outra pessoa e já sai daquela área. Por isso, estamos com uma operação em andamento justamente para combater a receptação de aparelhos de celular”, afirmou o comandante-geral da PM, coronel Cássio Araújo de Freitas, em nota.

Durante o carnaval de 2023, o Estado de São Paulo registrou 3.486 roubos e furtos de celular, resultando em cerca de 630 prisões. No balanço realizado pela Secretaria de Segurança Pública, divulgado antes do final de semana de pós-carnaval, os aparelhos foram recuperados em quase 600 ocorrências.

Apesar do número significativo de roubos e furtos, a secretaria destacou uma queda em relação às edições de 2020 e 2019 (as últimas antes da pandemia), quando foram notificados, respectivamente, 5.450 e 5.471 crimes desse tipo.

PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

notícias relacionadas