13.5 C
Jundiaí
domingo, 21 julho, 2024

Projeto de instalação de ninhos e abrigos de pássaros começa em Itupeva

publicidadespot_imgspot_img

A Prefeitura de Itupeva iniciou a instalação de ninhos e abrigos de pássaros no Parque da Cidade e em alguns pontos da Vila Aparecida e Quilombo, marcando o princípio das atividades do projeto “Meu parque, meu ninho”, ação ambiental conduzida pela Secretaria de Infraestrutura e Manutenção da Cidade.

O secretário da repartição, Antônio Germano Sai, detalhou que, ao todo 64 ‘casinhas’ e 3 tratadores estão sendo instalados. “Os serviços serão concluídos até a próxima quarta-feira, 27 de setembro”, explicou. As ‘casinhas’ foram confeccionadas com materiais de descarte (madeiras, canos, tinta e verniz), coletados em resíduos de construção civil. Já os tratadores foram produzidos com a utilização de galão de água vencidos e paletts (com cochinho de separação de alimentos).

De acordo com o diretor de setor na Secretaria de Infraestrutura e Manutenção da Cidade, Cristhian Eduardo Mazzetto, por meio deste projeto serão atendidas diversas espécies rurais, que se adaptaram ao meio urbano, dentre elas: Canário da Terra, Sanhaço, Sanhaço-Ira, Maritaca, Corruíra, Sabiá, Pintassilgo, entre outros. “O propósito deste projeto é diminuir o impacto das podas e desmatamento, colaborando para que os pássaros tenham abrigo e casa para fazer seus ninhos, além de incentivar os visitantes e moradores de Itupeva para que sigam este exemplo, reciclem e façam essa boa ação em suas residências, sítios, chácaras, além de praças e parques”, descreveu, ressaltando que a presença dos pássaros também traz embelezamento para o local. “Possibilitando belas imagens e vídeos da variedade de espécies encontradas em Itupeva”, destacou.

Cristhian salientou que, em virtude do desmatamento excessivo, seja da Mata Atlântica, Cerrado e Caatinga para a formação de pastagens, construção de loteamento e/ou condomínios, o impacto interfere diretamente em todas as espécies e, em especial nas grandes cidades, os pássaros chegam a percorrer de 12 a 16 km para encontrar árvores ou abrigos seguros para esconderem de fortes chuvas e temporais. “Um dos agravantes também é a questão da procriação, que vem diminuindo muito com o passar dos anos, refletindo na redução de espécies voando, cantando e fazendo morada. É na Primavera que as aves começam a procurar seus parceiros para acasalar e depois fazerem seus ninhos. Algumas espécies criam no final de setembro até o fim de janeiro”, comentou.

Novo Dia
Novo Diahttps://novodia.digital/novodia
O Novo Dia Notícias é um dos maiores portais de conteúdo da região de Jundiaí. Faz parte do Grupo Novo Dia.
PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

PUBLICIDADEspot_img

notícias relacionadas