26.5 C
Jundiaí
segunda-feira, 26 outubro, 2020

Mulheres são 13% dos candidatos a prefeituras

Estudo mostra que a representatividade ainda é baixa. Em 2016 foram eleitas 638 prefeitas, ou 11,5% do total de cargos disputados

Com poucos incentivos e barreiras históricas, as mulheres ainda são uma parcela pequena na disputa pelas prefeituras: representam apenas 13,05% (2.495) dos 19.123 candidatos em todo o País nas eleições 2020. O porcentual é ainda menor quando se trata de mulheres negras ou pardas – são 857 (4,5%). Homens brancos representam mais da metade (55%) dos candidatos a prefeito, segundo os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) atualizados até as 14 horas de ontem.

Os números deste ano mostram pouco avanço em relação ao registrado na eleição de 2016, quando 16.565 candidatos disputaram o cargo, sendo 2.149 mulheres (12,98%), e ainda está abaixo de 2012, quando o índice foi de 13,3%, com 2.026 candidatas. O prazo para registro de candidaturas para as eleições de novembro se encerrou no último sábado. Há informações residuais que serão atualizadas ao longo da semana, mas não alteram significativamente os dados.

Desde 2010, mulheres precisam ser 30% das candidaturas registradas por um partido para os cargos de vereador e deputado, mas a regra não vale para cargos do Executivo. “Isso demonstra a relevância das cotas. No primeiro caso (prefeituras), como não há cotas, as práticas históricas de registro de candidaturas masculinas vão sendo reproduzidas a cada eleição. Por isso temos ainda esse patamar tão baixo”, afirma a cientista política da Universidade de Brasília (UnB) Flavia Biroli. Para ela, as cotas interrompem a dinâmica histórica de dominância masculina, abrindo mais espaço para as mulheres.

‘Isso demonstra a relevância das cotas. No caso das prefeituras, como não há cotas, as práticas históricas de registro de candidaturas masculinas vão sendo reproduzidas a cada eleição. Por isso temos ainda esse patamar tão baixo”, explica.

Na disputa por vagas nas câmara municipais, a presença de mulheres vem aumentando.

Neste ano, são 173.710 (34,37%) do total de 505.461 candidatos, ante 153.313 (33,08%) em 2016 e 134.150 (31,9%) em 2012. Estudo feito pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) e pela ONU Mulheres mostrou que o Brasil registra baixos índices de representatividade feminina e de paridade política entre os sexos na comparação com os seus vizinhos da América Latina. Os poucos mecanismos adotados até hoje no País para incentivar mais mulheres na política são considerados insuficientes pelo estudo. As mulheres, no entanto, são maioria entre os eleitores brasileiros: 52,5%.

Nas últimas eleições municipais, em 2016, foram eleitas 638 prefeitas, 11,5% do total. O estudo da ONU mostra ainda que apenas 3% dos municípios brasileiros têm prefeitas negras. “A inexistência de uma legislação que impulsione candidaturas femininas para os cargos do Executivo, cuja ocupação é determinada por eleições majoritárias, traz um cenário de muita dificuldade para a eleição de mulheres”, mostra o levantamento.

A disputa pelos cargos de prefeitos também é pouco diversificada no quesito raça. Homens brancos (10.473 ou 55%) dominam o cenário, enquanto o Supremo Tribunal Federal (STF) ainda debate sobre a validade de políticas públicas para incentivar candidaturas de pessoas negras. Em agosto, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) havia decidido que a reserva de recursos para candidatos negros só valeria a partir das eleições de 2022, mas uma liminar do ministro Ricardo Lewandowski, do STF, antecipou a adoção das novas regras para este ano. No centro da controvérsia, estão os R$ 2 bilhões do Fundo Eleitoral reservados para o financiamento da campanha de vereadores e prefeitos de todo o País.

Urbemhttps://novodia.digital/urbem
A Editora Urbem faz parte do Grupo Novo Dia e edita livros de diversos assuntos e também a Urbem Magazine, uma revista periódica 100% digital.

SUGESTÃO DE PAUTAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Máquina para capturar pernilongos está em teste em São Paulo

Uma máquina desenvolvida nos Estados Unidos com apoio técnico da NASA, tem sido testada pela Empresa Metropolitana de Águas e Energia (EMAE)...
PUBLICIDADE

Estado e municípios reforçam monitoramento em área de manancial

As Áreas de Proteção e Recuperação de Mananciais (APRM) ganharam mais um reforço nas ações de proteção e conservação das regiões produtoras...

Clínica da Família, no Jardim Novo Horizonte, retoma atendimento de rotina

A Clínica da Família localizada no Jardim Novo Horizonte, em Jundiaí, retomou nesta segunda-feira (26), os atendimentos de rotina. A unidade estava...

Se dependesse da Net…

Muitos fatos históricos poderiam ter tomado outros rumos, caso a comunicação fosse mais rápida. No futuro, talvez possamos afirmar a mesma coisa....

notícias relacionadas

Máquina para capturar pernilongos está em teste em São Paulo

Uma máquina desenvolvida nos Estados Unidos com apoio técnico da NASA, tem sido testada pela Empresa Metropolitana de Águas e Energia (EMAE)...

Estado e municípios reforçam monitoramento em área de manancial

As Áreas de Proteção e Recuperação de Mananciais (APRM) ganharam mais um reforço nas ações de proteção e conservação das regiões produtoras...

Clínica da Família, no Jardim Novo Horizonte, retoma atendimento de rotina

A Clínica da Família localizada no Jardim Novo Horizonte, em Jundiaí, retomou nesta segunda-feira (26), os atendimentos de rotina. A unidade estava...

Se dependesse da Net…

Muitos fatos históricos poderiam ter tomado outros rumos, caso a comunicação fosse mais rápida. No futuro, talvez possamos afirmar a mesma coisa....

cadastre-se

Cadastre-se para receber as novidades no grupo Novo Dia