16.2 C
Jundiaí
sábado, 13 julho, 2024

Melasma: sintomas, prevenção e tratamento

A exposição excessiva à radiação solar sem proteção adequada pode resultar no surgimento de manchas escuras na pele, especialmente no rosto, conhecidas como melasma. Esta condição é frequentemente associada a fatores genéticos, alterações hormonais e exposição solar, embora sua causa exata ainda não esteja completamente definida.

Além de manifestar-se no rosto, o melasma pode também surgir em áreas como braços, pescoço e colo, caracterizado pelo aparecimento de manchas escuras na pele. Diferentemente da hiperpigmentação pós-inflamatória, estas manchas não estão necessariamente associadas a condições como espinhas ou queimaduras solares.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), o melasma resulta da intensificação na produção de melanina nas áreas expostas ao sol, conferindo à pele uma aparência distinta em comparação a outras regiões do rosto. Apesar de não causar dor ou outros sintomas físicos, essas manchas podem impactar significativamente a autoestima dos pacientes.

A incidência do melasma é mais comum em indivíduos com tons de pele do médio ao escuro, que naturalmente produzem mais melanina e, consequentemente, têm a pele mais pigmentada. A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) também destaca que cerca de 40% dos pacientes com melasma têm histórico semelhante entre parentes próximos, como irmãos, pais, tias e primas.

Melasma gestacional

A relação direta entre melasma e gravidez ainda não é consensual na comunidade médica, mas de acordo com a Rede D’Or, é provável que os altos níveis de estrogênio e progesterona durante a gestação intensifiquem a produção de melanina, facilitando o surgimento de manchas na pele.

Prevenção

O uso regular de protetor solar é o principal aliado na prevenção do melasma, reduzindo os efeitos da exposição aos raios solares na pele das pessoas predispostas à condição. Indivíduos com melasma devem aplicar filtro solar diariamente, inclusive em dias nublados e chuvosos, pois a luz visível também pode desencadear manchas na pele. Recomenda-se o uso de filtros físicos, como os tinted, que oferecem proteção adicional contra a luz visível.

O FPS do protetor solar deve ser mais alto para quem possui melasma em comparação àqueles sem a condição. Além do filtro solar, o uso de roupas e acessórios que protejam as áreas mais propensas ao desenvolvimento de manchas da exposição solar também é recomendado como medida preventiva.

Tratamento

O tratamento do melasma deve ser conduzido sob a supervisão de um dermatologista e envolve o uso de medicamentos tópicos e cremes clareadores para reduzir as manchas, além de uma rigorosa fotoproteção com produtos de alto FPS. Em alguns casos, o dermatologista pode recomendar o uso de tratamentos a laser, combinados com a redução da exposição solar, para ajudar a uniformizar a tonalidade da pele nas áreas afetadas em relação às áreas normais.

PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

PUBLICIDADEspot_img

notícias relacionadas