25.4 C
Jundiaí
domingo, 21 julho, 2024

Citroën apresenta carro 100% elétrico feito de papelão

publicidadespot_imgspot_img

Fonte: Canaltech

A Stellantis resolveu levar ao extremo o tema sustentabilidade ao projetar seu mais novo carro-conceito. O Citroën Oli é um carro 100% elétrico que mistura linhas de picape e SUV e tem no uso de materiais recicláveis, especialmente de papelão, o seu principal atrativo.

A Stellantis resolveu levar ao extremo o tema sustentabilidade ao projetar seu mais novo carro-conceito. O Citroën Oli é um carro 100% elétrico que mistura linhas de picape e SUV e tem no uso de materiais recicláveis, especialmente de papelão, o seu principal atrativo.

O Oli tem presença confirmada no stand da montadora francesa na próxima edição do Salão do Automóvel de Paris, marcada para acontecer entre os dias 17 e 23 de outubro. Quem for ao evento terá a chance de ver de perto as muitas inovações do carro. A começar pelo novo logotipo da Citroën, agora oval, inspirado no 1º emblema da marca.

A principal atração, porém, está nos materiais utilizados para a construção do Oli (que se pronuncia “All-e”, diga-se de passagem). O carro conta com boa parte da estrutura, incluindo bancos e a própria carroceria, feita de material reciclado. Os bancos, por exemplo, têm 80% menos elementos que um banco de carro padrão.

O teto e a traseira, por sua vez, foram desenvolvidos em parceria com a Basf, empresa química global, e são feitos de papelão ondulado reciclado, mas que conta com reforço de fibra de vidro e, por isso, podem pegar chuva normalmente.

A redução do número de peças e a substituição de materiais tradicionais, como o aço, por papelão em algumas estruturas, fizeram com que o Citroën Oli se tornasse um carro extremamente leve. Segundo a marca, ele pesará exatamente uma tonelada (1.000 kg), já incluindo o peso da bateria de 40 kW, que dará a ele uma autonomia de 400 km.

Porte de Renegade

O “carro de papelão” da Citroën não será de brinquedo. Muito pelo contrário. O Oli terá porte semelhante ao do Jeep Renegade, com 4,20 metros de comprimento, 1,90 metros de largura e 1,65 metros de altura. Para Vincent Cobée, CEO da marca francesa, o fato de o carro ser ecologicamente correto não implica em perda de conforto e praticidade para o consumidor.

“A Citroën acredita que eletrificação nunca deve significar extorsão e que a consciência ecológica não deve ser punitiva, restringindo nossa mobilidade ou tornando o convívio com os veículos menos gratificante. Precisamos inverter estas tendências, tornando os veículos mais leves e mais baratos e encontrando maneiras inventivas de maximizar sua utilização. Caso contrário, as famílias não conseguirão pagar o preço de uma mobilidade livre quando os veículos elétricos se tornarem a única opção disponível. O Oli é uma demonstração contundente da maneira como a Citroën enfrenta esses conflitos, com determinação e otimismo”.

Mais atrações do Citroën Oli

Além do uso de papelão em várias estruturas, do novo emblema da marca e do porte similar ao de um SUV, o Citroën Oli tem outras peculiaridades que podem chamar a atenção do consumidor e, com isso, convencer a marca a transformar o carro-conceito em um produto para venda após o Salão do Automóvel de Paris.

Uma das maiores curiosidades é que as portas, dianteira e traseira, se abrem em direções opostas. Além disso, os encostos de cabeça dos bancos traseiros, quando rebaixados, em conjunto com os vidros abertos, tornam o porta-malas em uma espécie de caçamba de picape.

O design inclui ainda um para-brisas vertical, projetado para ser mais barato e, de quebra, ajudar a reduzir em até 17% a demanda de energia fornecida pelas baterias para alimentar o eficiente sistema de ar-condicionado do Citroën Oli.

“Pode-se argumentar que um para-brisas vertical é menos aerodinâmico, mas um veículo desse tipo não é projetado para ser conduzido a 200 km/h. Ele é mais útil em áreas urbanas e suburbanas, onde as pessoas diminuem a velocidade e têm consciência dos aspectos ambientais e de segurança relacionados à mobilidade quotidiana. É por isso que limitamos a velocidade máxima do oli a 110km/h”, explicou Pierre Sabas, chefe de design da marca.

O carro elétrico também tem inovação em tecnologia na cabine. O painel, por exemplo, utiliza o próprio smartphone do motorista como sistema de comunicação e infotenimento, exibindo aplicativos ao lado das informações do carro, como velocidade e autonomia. Segundo Sabas, como “todos levam os celulares e usam aplicativos”, a marca “viu uma chance de economizar despesas, evitar duplicação e reduzir o peso dos sistemas integrados”.imageimageimageimage

Preço e disponibilidade do Citroën Oli

O Citroën Oli não tem preço definido, pois a marca não confirmou, até o momento, se irá ou não lançar o carro no mercado. A julgar pelo material de divulgação da montadora, no entanto, não será surpresa se o carro for anunciado comercialmente tão logo o Salão do Automóvel de Paris termine.

“O Citroën Oli exemplifica nossa missão de mobilidade: responsável, descomplicado e economicamente acessível para o seu dia a dia, sem deixar de ser ambicioso, desejável e prazeroso. É nossa inspiração para a solução que queremos ter como o único veículo que sua família precisará ter daqui a dez anos”.

Novo Dia
Novo Diahttps://novodia.digital/novodia
O Novo Dia Notícias é um dos maiores portais de conteúdo da região de Jundiaí. Faz parte do Grupo Novo Dia.
PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

PUBLICIDADEspot_img

notícias relacionadas