spot_img
11.4 C
Jundiaí
quarta-feira, 6 julho, 2022

Como estatura influencia na incidência de doenças

PUBLICIDADEspot_img

Alta ou baixa, a estatura de uma pessoa aumenta o risco de uma variedade de doenças, segundo aponta um novo estudo liderado por Sridharan Raghavan, do Rocky Mountain Regional VA Medical Center (EUA) e publicado pela revista de acesso aberto PLOS Genetics.

Associada a várias condições comuns, desde doenças cardíacas até câncer, a altura tem sido um fator determinante.

Mas os cientistas têm se esforçado para determinar se ser alto ou baixo é o que os coloca em risco, ou se os fatores que afetam a altura, como nutrição e status socioeconômico, são realmente os culpados.

No novo estudo, os pesquisadores decidiram remover esses fatores de confusão analisando separadamente as conexões entre várias doenças e a altura real de uma pessoa e as conexões com a altura prevista com base em sua genética.

Com dados do Programa VA Million Veteran, a equipe incluiu informações genéticas e de saúde de mais de 200 mil adultos brancos e mais de 50 mil adultos negros.

Os resultados só confirmaram descobertas anteriores de que ser alto está associado a um maior risco de fibrilação atrial e varizes, e um menor risco de doença cardíaca coronária, pressão alta e colesterol alto.

Além disso, o estudo descobriu novas associações entre maior altura e maior risco de neuropatia periférica, que é causada por danos nos nervos das extremidades, bem como infecções de pele e ossos, como úlceras nas pernas e nos pés.

Aperfeiçoamento

Durante o levantamento, foram analisadas mais de 1.000 condições e características em geral, tornando-se o maior estudo de altura e doença até o momento. Os pesquisadores concluíram que a altura pode ser um fator de risco não reconhecido anteriormente para várias condições comuns em adultos.

Porém, eles dizem que são necessários estudos complementares para esclarecer algumas dessas associações e que estudos futuros se beneficiam da inclusão de uma população internacional maior e mais diversificada.

Segundo Raghavan acrescentou que usando métodos genéticos aplicados ao Programa VA Million Veteran, encontramos evidências de que a altura na fase adulta pode afetar mais de 100 características clínicas. “Incluindo várias condições associadas a resultados ruins e qualidade de vida – neuropatia periférica, úlceras de extremidades inferiores e doenças venosas crônicas. insuficiência”, explica.

No fim, foi concluído que a altura pode ser um fator de risco não modificável não reconhecido para várias condições comuns em adultos. (IstoÉ)

Novo Dia
Novo Diahttps://novodia.digital/novodia
O Novo Dia Notícias é um dos maiores portais de conteúdo da região de Jundiaí. Faz parte do Grupo Novo Dia.
PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

notícias relacionadas