16.4 C
Jundiaí
quinta-feira, 30 junho, 2022

Itu retoma tradicional Desfile do Divino

PUBLICIDADEspot_img

A Prefeitura Municipal de Itu, por meio da Secretaria Municipal de Turismo, Lazer e Eventos promove mais um Desfile do Divino. Tradicionalmente conhecida na cidade, a procissão do Desfile do Divino acontece este ano no dia 4 de junho (sábado), sempre cinquenta dias após o Domingo de Páscoa, celebrando a festa de Pentecostes. 

Assim como nos anos anteriores, o ponto de concentração será às 8 horas, em frente à Câmara, na Rua Barão do Rio Branco, iniciando o desfile às 9 horas, percorrendo as ruas Santa Rita, Sete de Setembro, finalizando a celebração na Praça Padre Miguel (Matriz), com a benção do padre. Realizado pela última vez em 2019, devido à pandemia da Covid, o evento retorna com o tema “Fraternidade e Educação – Fala com sabedoria, ensina com amor”.

O trajeto realizado pelas principais ruas do Centro Histórico de Itu, conta com a participação dos devotos que recriam momentos da época do Império com trajes e a corte da Imperatriz. Os soldados do Exército percorrem as ruas carregando o andor que leva a imagem da pomba, que representa o Divino Espírito Santo, enquanto algumas crianças carregam os sete dons – Conselho, Fortaleza, Sabedoria, Entendimento, Ciência, Piedade e Temor a Deus -, além dos tradicionais cavaleiros e o carro de boi, que também participam do desfile, entoados por cânticos da igreja.

Tradição

A origem popular da festa surgiu em Portugal, no ano de 1320, com a Imperatriz Santa Isabel de Aragão, que após realizar uma promessa pagou a mesma levando a coroa do Império com símbolo do Espírito Santo. No Brasil, a festa teve início por volta do século XVI, se tornando uma herança dos colonizadores.

O desfile do Divino é realizado no sábado de manhã com a participação da corte, de violeiros, cavaleiros, bandas de música e carros de boi, que no passado levavam a lenha para ser vendida e o dinheiro arrecadado era doado entre as obras de caridade. As cores predominantes nesse desfile são o vermelho e branco, presentes nas vestimentas, nos enfeites e na decoração do Império, da Igreja e na Bandeira. A primeira simboliza a realeza de Santa Isabel e as línguas de fogo do Pentecostes; a segunda apresenta-se na pomba. Tida como figura símbolo do Espírito Santo e da Paz.

Antigamente no final de toda festa, era sorteado entre a população o imperador do ano seguinte, que recebia a coroa e o cetro do império na porta da Matriz e dirigia-se à sua casa, com o povo, onde era armado o novo império. Atualmente está sediado na residência do senhor Jair de Oliveira, sendo o Alferes da Bandeira do Divino Espírito Santo.

Novo Dia
Novo Diahttps://novodia.digital/novodia
O Novo Dia Notícias é um dos maiores portais de conteúdo da região de Jundiaí. Faz parte do Grupo Novo Dia.
PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

notícias relacionadas