spot_img
19.3 C
Jundiaí
domingo, 7 agosto, 2022

Mim devolve. Pardal Assustado aceita?

PUBLICIDADEspot_img

Não é de hoje que nosso país está uma verdadeira zona. E das bem fuleiras. Deputados e senadores fazem uma lei, e aí os ministros do STF (Suprema Trapalhada Federal) proíbe. Prefeito pensa numa lei, boa para sua cidade, e vereadores não aprovam de birra. Bancos fazem o que bem entendem, embora presume-se que sejam controlados pelo Banco Central. Empresas de telemarketing ligam dia e noite para infernizar a vida dos outros, apesar de proibidas.

Comerciantes (nem todos ) abusam dos preços. Se der uma ventania em Fernando de Noronha já é motivo para aumentar o preço do arroz – e não se planta nada em Noronha. Supermercados (alguns) reembalam produtos com data de validade vencida, e vendem como se novos fossem. Farmácias (nem todas) vem qualquer remédio sem receita médica. Vendem óculos também, sem que o sujeito tenha de passar por um oftalmologista.

O Jogo do Bicho está proibido. No papel. Na prática, é o mais jogado do Brasil. Não se pode vender bebida alcoólica a menores de idade – e o que mais tem nas tais baladas é pivete trêbado. Cidadão trabalhador precisa cumprir uma série de exigências para conseguir comprar uma arma. Bandido parece ter nascido com porte de arma e licença para matar. Está tudo errado.

Acredito que seja a hora de devolver o país aos seus antigos donos, os índios. Índios eram mais organizados. Não complicavam nada. Nem precisavam de roupas e calçados. Nem de apartamentos das Encamps da vida. Moravam em suas tabas, felizes. Nem dinheiro usavam. Nâo sabiam o que eram juros e correção monetária. Não precisavam entrar em consórcio ou fazer prestação para comprar um arco e flecha novos.

Índios não precisavam de juiz ou advogado – resolviam tudo na porrada. Mas resolviam. Nâo havia um monte de gente mandando ou dando palpite – o mais fodão da tribo mandava e fim de papo. Índios não precisavam de engenheiro responsável para construir suas ocas, nem do auto de vistoria do Corpo de Bombeiros para montar suas tabas. Não precisavam de financiamento nem da loja de material de construção – tudo o que precisavam estava no mato.

Plano de saúde, nem pensar. Tal como nos dias atuais, índios tinham seus pajés, que curavam todos os males da tribo. Hoje temos pastores fazendo curas e mais curas, e bem longe dos hospitais. Em cada tribo, um cacique – hoje há caciques demais.  A maioria inútil.  Índios eram mais “raiz” com seus piercings – basta ver os Botocudos. E índia não gastava dinheiro em salão de beleza ou xampu. E nem por isso o índio reclamava.

Índios tinham a mesma vocação dos brasileiros atuais – eram cachaceiros por natureza. Suas mulheres eram como muitas das atuais, andando peladas. Não tinham internet, e mandavam mensagens por sinais de fumaça ou batuques de tambor. Nem precisavam da Net. Nem da Vivo. Nem de celular. Nâo precisavam de transporte coletivo – faziam suas canoas, sem precisar licenciar ou pagar IPVA. Bons tempos aqueles…

Mim devolve. E Touro Manco, aceita? Ou vai perguntar pro Rola Sentado?

Novo Dia
Novo Diahttps://novodia.digital/novodia
O Novo Dia Notícias é um dos maiores portais de conteúdo da região de Jundiaí. Faz parte do Grupo Novo Dia.
PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

notícias relacionadas