spot_img
spot_img
20.1 C
Jundiaí
sábado, 4 dezembro, 2021
spot_img

Até que outubro foi bonzinho

Outubro terminou sem muitas más lembranças. Não que elas façam falta, mas o mês é marcado por desgraças de todos os tipos ao longo da história.. E talvez, não por acaso, seu último dia foi dedicado às bruxas. Bruxaria é tradição que vem de fora; por aqui, para combatê-la, criou-se o Dia do Saci no mesmo 31 de outubro. Não pegou.

As más lembranças de outubro começam em 1793, dia em que a rainha francesa Maria Antonieta perdeu sua cabeça na guilhotina. Antes já havia outros casos, assim como depois, mas marcante mesmo foi uma rainha petulante e chata ser decapitada em público.

Em 1929, no dia 24 de outubro, aconteceu a quebra na Bolsa de Valores de Nova Iorque. A desgraça se espalhou pelo mundo, e pra recuperar os bilhões de prejuízo foram precisos muitos anos. Também foi em outubro, no dia 3, que os alemães lançaram pela primeira vez sua bomba V-2, a precursora dos modernos mísseis. O estrago foi grande enquanto ela foi usada.

Por aqui também não faltaram desgraças. No dia 2 de outubro de 1992, a Polícia Militar (Choque) invadiu o Carandiru para por fim a uma rebelião. Oficialmente foram mortos 111 presidiários, todos bem comportados, que tinha só colocado fogo em colchões e arrebentado tudo, além de exigir uma série de benefícios. O fato ficou até romântico na ótica de alguns escritores, notadamente os que defendem marginais.

Em 1996, no dia 31 de outubro, um Fokker-100 da Tam caiu em cima de casas logo após decolar de Congonhas. Morreram 99 pessoas. O acidente foi atribuído a uma falha no reversor de um dos motores. O Fokker tem dois motores, e enquanto um empurrava o avião para cima, o outro puxava para baixo. Foi o fim dos Fokkers no Brasil.

E anos depois, em 2002, num mesmo 31 de outubro, o casal Richthofen foi assassinado enquanto dormia. Os matadores foram os irmãos Cravinhos, em parceria com a filha do casal, Suzane, a loira que se tornou uma estrela no mundo do crime.

Outubro terminou, e mesmo não apresentando nada grandioso, não deixa saudade. Mês agourento assim nem precisaria existir. Até o nome é meio tenebroso. Ainda bem que agora é só no próximo ano.

ANSELMO BROMBAL
Jornalista

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

notícias relacionadas