spot_img
spot_img
20.3 C
Jundiaí
quarta-feira, 1 dezembro, 2021
spot_img

Se essa moda pega

Pelos corredores da empresa, no sobe e desce do elevador, no café que nunca pode faltar durante o expediente. Esteja onde estiver o assunto será o mesmo: a mais nova resolução da diretoria que lhe concede o direito de uma pausa diária para masturbação.

Você não leu errado e a novidade chega no mundo corporativo com embasamento científico e a promessa de ser o novo viagra da criatividade. Para ser sincera, desde 2017, existe uma linha científica que defende o auto toque como o mais eficiente ócio criativo. 

À época, psicólogos apontavam a masturbação como uma poderosa arma contra o estresse no trabalho, enquanto que outros estudiosos diziam que aquele “momento de alívio” era como o novo intervalo para o cigarrinho. 

Verdade seja dita, quem nunca deu aquela aliviada básica durante o expediente, com a desculpa de que apenas ia ao banheiro? Pesquisa realizada pela Time Out em Nova Iorque revela que 39% dos entrevistados já se masturbaram no ambiente de trabalho. Outro levantamento feito pela revista Glamour aponta que 31% dos leitores, incluindo homens e mulheres, também precisaram apelar para o auto-erotismo.    

De olho nisso, uma empresa de Nova York, não só passou a permitir aos seus funcionários este momento de “raro prazer”, como liberou cabines com wifi para ajudar no imaginário dos seus funcionários na hora do 5 contra 1. 

Se você já foi se aliviar no banheiro durante o expediente ou conhece alguém que fez o mesmo, sabe que esta porcentagem apontada até aqui não é tão surreal assim. Basta uma inocente pesquisa do Google, para você encontrar centenas de surpreendentes relatos de situações parecidas com as descritas acima. Então, não é de se espantar que psicólogos estejam recomendando empresas a comprarem a ideia.   

Mark Sergeant, palestrante de psicologia da Nottingham Trent University acredita que a pausa é muito eficaz no trabalho e uma ótima maneira de aliviar a tensão e o estresse. Já o também psicólogo e coach, Cliff Arnal, defende que uma política de masturbação resultaria em mais foco, menos agressividade, maior produtividade e mais sorrisos. 

Então, se um colaborador perdeu o ônibus, encarou o atraso no metrô, enfrenta aquela crise interminável tentando agradar um cliente ou simplesmente não consegue entregar um job por conta do estresse, o onanismo poderia clarear as coisas e até aliviar os problemas do dia a dia.  

Até que faz sentido

Mas, afinal, se já existe pausa para o café e a parada para o cigarro, qual o impedimento de criar mais este momento de descanso?

Cientificamente, não há problema, mas a hipocrisia da sociedade que nega aceitar a masturbação com normalidade. Por outro lado, se os colaboradores já usam 5 minutinhos do seu dia para se aliviar no banheiro do escritório, para quê formalizar o ato?

Independente da resposta para essas perguntas, o fato é que tem muito RH (re) considerando a ideia nos Estados Unidos. Resta saber a moda vai pegar por aqui.  

Novo Diahttps://novodia.digital/novodia
O Novo Dia Notícias é um dos maiores portais de conteúdo da região de Jundiaí. Faz parte do Grupo Novo Dia.
PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

SUGESTÃO DE PAUTAS

notícias relacionadas