spot_img
20.2 C
Jundiaí
quarta-feira, 16 junho, 2021
spot_imgspot_img

Ambiente de trabalho flexível exige estratégias e fortalecimento da Comunicação Interna

O uso da tecnologia é o maior aliado das empresas para manter a comunicação com seus colaboradores em home office ativa e eficiente

O home office, que para muitos era uma realidade distante, tornou-se comum e indispensável em meio a pandemia em 2020. Essa tendência, que já era adotada com mais frequência por empresas dos Estados Unidos e Europa, ganhou força no Brasil durante a quarentena. E por aqui, o grande desafio foi implementar estratégias de comunicação que pudessem manter o vínculo entre empresa e colaborador, que ainda buscava se adaptar ao “novo” ambiente de trabalho.

Apesar de “forçado” a adotar o trabalho remoto ou flexível, o setor corporativo já percebeu que esse movimento deve continuar no pós-pandemia. A holding de recrutamento e seleção Talenses Group fez uma análise que detectou que 55% das pessoas já colocam o fator home office como um dos mais importantes na escolha de um novo emprego. O estudo aponta ainda que 98% delas acreditam que o trabalho remoto oferece mais benefícios, como ficar longe do trânsito e reduzir o estresse do transporte público.

Além disso, algumas empresas, principalmente em grandes centros, já vinham adotando a flexibilização mesmo antes da Covid-19. Entre 2016 e 2017, por exemplo, houve um aumento no número de pessoas que já trabalhavam de suas residências, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) sobre características Adicionais do Mercado de Trabalho 2012-2018. O estudo aponta que naquele período, houve um aumento de 16,2% de trabalhadores atuando em home office. Já entre 2017 e 2018, o aumento foi de 21,1%.

Como manter uma comunicação ativa entre empresa e funcionário

Em um artigo publicado pelo Portal da Comunicação, a Diretora de Comunicação Corporativa e de Negócios do Grupo Solvay na América Latina, Odete Duarte, afirma que o papel das equipes de comunicação é engajar as equipes para continuarem dispostas a realizar suas tarefas longe do ambiente de trabalho.

Entre as estratégias adotadas pelo time de comunicação da Rhodia, empresa do Grupo Solvay, durante o período de home office, estão o envolvimento das principais lideranças da empresa e o uso da tecnologia.

“Temos utilizado os canais de comunicação da empresa: intranet, TV Corporativa, comunicados internos via e-mail, materiais promocionais nas fábricas (cartazes, banners), vídeos disponibilizados em vários canais, reuniões da liderança no ambiente virtual, redes sociais, website corporativo e outros, para que as informações sobre as decisões e atividades da empresa sejam de conhecimento de todos e por eles sejam assimiladas da melhor maneira possível”, aponta Odete.

Tecnologia a favor

O uso da tecnologia é o maior aliado das empresas para manter essa via de comunicação ativa. Ferramentas de gestão online, ou aplicativos para conversa como WhatsApp ou Telegram, e-mails, hangouts e salas de reuniões online como o Zoom, Teams, Skype, por exemplo, tornaram-se essenciais para manter as pessoas próximas e integradas ao trabalho. Além disso, funcionam como suporte para a solução de problemas.

Comunicação efetiva, escuta ativa e estímulo a produtividade

Considerar o perfil da empresa e de seus colaboradores se faz extremamente necessário para que as ações atinjam o público-alvo e evite possíveis lacunas. Por isso é preciso entender que tipo de canal será utilizado e que vai realmente suprir as necessidades de trabalho.

Para uma empresa que tem o chamado “chão de fábrica”, por exemplo, onde os funcionários têm mais dificuldade de acessar e-mails ou não trabalham com o celular na mão, os meios digitais podem ser um obstáculo.

A Pirelli, por exemplo, adotou a descentralização para continuar com acesso aos seus colaboradores nas plantas localizadas no Brasil durante a pandemia. Entre as ações adotadas em 2020, foi a utilização dos grupos de WhatsApp dos supervisores e líderes para que a comunicação acontecesse de maneira mais ágil.

Outro ponto que precisa ser considerado é a escuta ativa. Neste cenário, é de extrema importância ouvir as dores dos colaboradores, as dúvidas e pensar em soluções para elas.
A criatividade também é uma ferramenta que vai fazer a comunicação fluir bem. A produção de conteúdo específicos e de interesse dos profissionais é uma das vias que podem mantê-los estimulados e conectados com a empresa, mesmo quando estão em casa.

Também é de grande valor investir em e-mail marketing, criação de campanhas colaborativas, Lives, criação de vídeos, entre outras ferramentas que possam segurar o interesse deles. Mas atenção em não focar somente na questão do cumprimento de metas.

Desafios e tendências

A flexibilização do trabalho veio para ficar. E o desafio é melhorar a comunicação entre colaborador e empresa. Uma análise feita pela plataforma de comunicação interna Social Base, aponta que as empresas têm investido em ações para transformar essa experiência.
Em 2020, a plataforma entrevistou 175 empresas de diversos portes e segmentos no Brasil para entender as tendências no setor. A pesquisa indicou que as maiores intenções de investimento na comunicação interna ficaram entre intranet, rede social corporativa, WhatsApp, aplicativo de comunicação interna, mural digital/TV corporativa (iguais às oferecidas pela TV Cena) e podcasts.

Urbemhttps://novodia.digital/urbem
A Editora Urbem faz parte do Grupo Novo Dia e edita livros de diversos assuntos e também a Urbem Magazine, uma revista periódica 100% digital.

SUGESTÃO DE PAUTAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

PUBLICIDADEspot_img
PUBLICIDADEspot_img

notícias relacionadas