22.7 C
Jundiaí
quinta-feira, 21 janeiro, 2021

Para combater os inimigos exercito dos EUA tinha planos de criar uma “bomba Gay” em 1994

Em 1994, o Laboratório Wright, nos Estados Unidos, propôs a criação de uma bomba química “que faria os soldados inimigos se sentirem sexualmente atraídos uns pelos outros”.

Segundo o Strambotic, o centro científico militar pediu ao tesouro público estadunidense o equivalente a 40 milhões de reais para desenvolver o dispositivo bélico, que iria conter feromônio, uma poderosa substânica afrodisíaca que supostamente faria com que o “comportamento homossexual afetasse a disciplina e moral em unidades inimigas”

De acordo com documentos do governo, o Pentágono considerou tirar o projeto do papel, acreditando que os soldados inimigos se renderiam ao slogan “faça amor, não guerra”. Entretanto, o mesmo teria sido recusado por veteranos, por considerá-lo “nojento, mas completamente não letal”.

Aaron Belkin, analista político da Universidade da Califórnia, declarou que “presumir que borrifar alguém com uma substância química pode torná-lo gay é ridículo, e presumir que tornar alguém gay o tornará um mau soldado também é ridículo”.

Novo Diahttps://novodia.digital/novodia
O Novo Dia Notícias é um dos maiores portais de conteúdo da região de Jundiaí. Faz parte do Grupo Novo Dia.

SUGESTÃO DE PAUTAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

notícias relacionadas